A UNIÃO FAZ A FORÇA!

sábado, 24 de novembro de 2012

SEM PRESSA!!!

Não tenha pressa para emagrecer, você demorou 9 meses para nascer.
Não faça loucuras para eliminar peso,devagar e sempre.


O perigo das dietas muito restritivas


É difícil ter paciência quando o assunto é emagrecer e muita gente acaba cometendo loucuras, submetendo-se a várias dietas absurdamente rígidas, muitas vezes combinadas a inibidores de apetite, laxantes e diuréticos para conseguir chegar o mais rapidamente ao peso que considera ideal para si. Ficar magra de um dia para o outro é o maior desejo de quem está acima do peso e o pior é que dificilmente as pessoas pensam nos problemas de saúde que o emagrecimento rápido pode acarretar.
Este risco existe porque o corpo precisa de um tempo para se adaptar às mudanças de peso. Quando isso não acontece, o emagrecimento pode vir acompanhado de complicações físicas e psicológicas. Para ficar em um patamar de segurança, a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda a perda de um quilo a um quilo e meio por semana, no máximo. Mais do que isso é considerada uma situação de risco.
Lembre-se que esse excesso de peso não foi alcançado de um dia para o outro e o mais difícil não é a perda e sim a manutenção, afinal, tudo que se perde pode ser achado. O problema das dietas “malucas” e altamente restritivas, assim como de produtos como Herbalife ou Forever é que não dá pra passar o resto da vida consumindo tais produtos e o pior é que ainda são de alto custo quando comparado aos métodos mais naturais de emagrecimento. Quem consegue trocar um delicioso prato de arroz, feijão e carne por shakes e comprimidos por muito tempo?
Dietas restritas e ainda sem exercício físico causam uma perda acentuada de massa muscular e redução do metabolismo (capacidade do corpo gastar calorias). A redução muscular, por si só causa maior flacidez e também redução metabólica. Assim, para cada 10kg de peso perdido na balança, há redução de 5kg de gordura e 5kg de músculo se não houver a prática de exercícios. Ainda ocorre também maior eliminação de líquidos e às vezes a pessoa pensa que emagreceu 1kg do dia pra noite, quando na verdade não foi de gordura e sim só líquidos.
Os especialistas perceberam os problemas que a redução rápida de peso causava quando era realizada através de dietas com menos de 1000kcal/dia: queda frequente da pressão, desmaios e até morte súbita.
Sem tempo para se adaptar às mudanças de peso, o corpo responde de maneira negativa, surgindo as seguintes alterações:
  • Leves modificações nos batimentos cardíacos causando arritmias; o aumento do metabolismo da gordura pode causar complicações no fígado; 
  • Dietas com alta restrição de gorduras diminuem a produção de hormônios sexuais, alterando até o interesse sexual e ainda prejudicando a absorção de vitaminas lipossolúveis (K, E, D e A); 
  • Dietas não equilibradas geram carência de vitamina B, ferro (anemia) e outras deficiências nutricionais; 
  • Comprometimento cerebral, podendo causar insônia, mau-humor, irritação, baixa concentração, desânimo e até depressão;
  • Baixa imunidade, facilitando o aparecimento de doenças e comprometendo a cura delas, por exemplo, infecções, viroses, verminoses e reações alérgicas;
  • A quantidade de ácido úrico na circulação sanguínea aumenta, favorecendo a formação de cálculos, as famosas pedras nos rins;
  • A pessoa urina muito, perdendo água e sais minerais, esse desequilíbrio hidroeletrolítico causa câimbras, mal estar, fraqueza e perda da sensibilidade nas mãos;
  • A pele não acompanha a redução de peso rápida e fica flácida, além disso, a falta de nutrientes deixa as fibras de colágeno e elastina desnutridas, impedindo a firmeza da pele;
  • Intolerância ao frio, causada pela diminuição do tecido gorduroso e redução da produção de adrenalina e hormônios tireoidianos, que regulam a temperatura corporal;
  • Quanto mais restrito for o consumo de calorias, mais o organismo vai se proteger, cria um mecanismo de adaptação reduzindo o metabolismo, resultado: queima menos calorias;
  • Maior risco de desenvolver osteoporose e nas mulheres em fase de menopausa ou que já tem osteoporose, a doença se agrava, exigindo controle constante, reposição hormonal e a prática de exercícios;
  • Aumenta a chance de ter intestino preso nas dietas à base de líquido e pobre em fibras e ainda comprometimento da saúde da pele, cabelos e unhas com dietas pobres em vitaminas, zinco e proteínas.
Sua cabeça também sofre danos, afinal, corpo e mente andam juntos. Veja os principais prejuízos psicológicos que a perda de peso rápida pode trazer:
  • Auto-imagem de gordo - você ainda se acha gorda, mesmo exibindo uma silhueta mais magra. Nesse conflito, o cérebro faz de tudo para ficar com o corpo de acordo com a imagem mental criada, favorecendo a recuperação de todo o peso perdido ou causando distúrbios alimentares como anorexia nervosa e bulimia.
  • Expectativas frustradas - você pode pensar que todos os seus problemas vão acabar quando conseguir chegar ao peso ideal. Resultado: você emagrece, mas se frustra porque as dificuldades na vida sempre vão existir daí para voltar a comer exageradamente é um pulo. Existe também, de forma inconsciente, a vontade de voltar ao corpo gordinho que, apesar de não ser socialmente bem aceito, é um velho conhecido, ou seja, que representa maior segurança.
  • Compulsão alimentar - geralmente se emagrece muito em pouco tempo com dietas rígidas. A privação exagerada depois disso tudo pode levar você à compulsão alimentar e ganho muito mais rápido de peso.
 Entenda o círculo vicioso que faz você entrar num emagrece-engorda sem fim:
  1. Ao perder peso muito rápido, quer dizer que você está se privando de muitos alimentos, então seu corpo reage como se estivesse numa guerra, passando fome. 
  2. Para reverter a ''situação de perigo'', as células de gordura estimulam seu cérebro a não ficar satisfeito. 
  3. Você volta à antiga alimentação e seu corpo absorve tudo para formar novamente a mesma quantidade de gordura de antes. 
  4. Recuperando o antigo peso, as células de gordura ficam satisfeitas e param de estimular seu cérebro. 
  5. O ganho de peso continua porque as células de gordura demoram a avisar o cérebro de que seu corpo já voltou ao peso anterior. E quando esta mensagem chega você já ganhou de 2 a 5 quilos além do que pesava antes da dieta rígida. 
  6. Inconformada por estar mais gorda do que antes, você se sente mal, sua autoestima baixa e acontece a procura por outra dieta rápida... e começa tudo de novo


Entenda porque a fórmula mais divulgada para o emagrecimento (dieta equilibrada + exercício físico) realmente dá resultado.

Dieta equilibrada: Ingerindo todos os nutrientes que o seu corpo precisa, você reduz o risco de ficar doente e comprometer a continuidade do tratamento para emagrecer e chegar ao corpo e peso desejados. Além disso, só comendo de tudo (com moderação), você combate a compulsão pelos alimentos e aumenta a chance de manutenção do novo peso. As mudanças alimentares devem ser alcançadas aos pouco para serem mais duradouras, assim uma reeducação alimentar é superimportante para não haver guerra com os alimentos o resto da vida.

Exercícios Físicos: A atividade física queima calorias e acelera o metabolismo, que se torna mais eficiente mesmo em repouso, ou seja, você continua gastando calorias mesmo após o exercício. Também colabora para o aumento da massa muscular, outra responsável pela queima calórica. Através desta fórmula seu emocional também se beneficia, pois você vai emagrecer aos poucos e com saúde. Sua mente vai ter tempo de ir se habituando ao seu novo corpo e peso, sem frustrações e ansiedades com este, garantindo assim uma autoestima, autoconfiança e autoimagem adequadas, evitando o efeito iô-iô.



Nenhum comentário:

Postar um comentário